Marcas Chinesas Disputam Espaço no Mercado Automotivo Brasileiro

marcas chinesas no Brasil
(Foto: Divulgação)

O cenário automotivo brasileiro está sendo agitado pela acirrada competição entre marcas chinesas como GWM, BYD e Caoa Chery. No último mês de agosto, elas se destacaram, conquistando posições de destaque no ranking das marcas mais vendidas do país, segundo dados da Fenabrave. A notável performance da Caoa Chery a colocou na 11ª posição geral, com a venda de 3.151 veículos.

A BYD logo aparece em seguida, com 1.455 unidades vendidas no mesmo período, seguida de perto pela GWM, que registrou uma diferença de apenas três carros, totalizando 1.452 unidades comercializadas. Essa competição acirrada reflete a crescente inclinação dos consumidores pelas inovações oferecidas por essas marcas.

Esse padrão se repete quando analisamos as vendas de veículos elétricos. No último mês, o BYD Dolphin assumiu a liderança entre os modelos elétricos mais vendidos do país, com uma vantagem de 218 carros sobre o segundo colocado. Além disso, manteve a BYD no topo das marcas de veículos elétricos mais vendidas, superando até mesmo nomes tradicionais como a Volvo. Esses dados foram levantados por Marcelo Cavalcante para o site Use Elétrico.

carros chineses dominam o Brasil
(Foto: Divulgação)

Leia mais:

Audi Q8 atualiza visual o tem mais opções de personalização

Peugeot e-3008 2024 tem 700 km de autonomia e mistura cupê e SUV

Outra marca chinesa, a GWM, também vem ganhando terreno. De acordo com um levantamento do mesmo autor, ela tem desafiado a Toyota e se tornou líder nas vendas de veículos híbridos. O modelo Haval H6 superou o Corolla Cross em agosto, com uma diferença de 441 unidades vendidas. Embora o Corolla híbrido ainda lidere o acumulado do ano, a vantagem está diminuindo: 4.881 unidades para a Toyota contra 4.567 para o SUV chinês.

O crescente interesse nas marcas chinesas está movimentando o mercado de diversas maneiras. Recentemente, um grande carregamento de novos modelos BYD e GWM chegou via marítima ao porto de Vitória (ES). Mais de 2.700 veículos agora aguardam distribuição nos pátios das montadoras para posterior entrega aos clientes. O aumento da demanda também é evidente: no primeiro semestre deste ano, cerca de 8 mil carros chineses entraram no país, segundo a Câmara de Comércio Brasil-China. Esse número tende a crescer, impulsionado pela competitividade trazida pelo BYD Dolphin, que forçou a concorrência a reajustar seus preços.