BMW explica por que câmbio manual da M2 custa mais que o automático

Quem diria que o câmbio manual se tornaria mais complexo de se fazer do que o automático?

BMW explica por que câmbio manual da M2 custa mais que o automático
(Foto: Divulgação/BMW)

A indústria automotiva há anos opera sob a lógica de estabelecer um custo adicional às alternativas automáticas em comparação às manuais, ou, na melhor das hipóteses, manter um equilíbrio de preços entre as opções. No entanto, o BMW M2 da geração G87 no mercado europeu apresenta um cenário distinto. O modelo com transmissão manual é precificado acima da versão automática, uma particularidade que levanta questionamentos. O chefe da BMW M, Frank van Meel, esclarece essa distinção ao explicar o raciocínio por trás do custo diferenciado entre as opções de transmissão.

Segundo van Meel, a produção da caixa de seis marchas em meio a uma linha predominantemente automática implica custos adicionais para a empresa, principalmente em termos de desenvolvimento. Uma alternativa mais fácil seria retirar por completo a opção manual da linha, beneficiando a maioria dos consumidores que optam pela transmissão automática.

BMW M2 custa câmbio
(Foto: Divulgação/BMW)

A BMW optou por manter a oferta do modelo manual como uma homenagem à tradição, atendendo aos apelos de entusiastas e admiradores da marca. Van Meel ressalta que, do ponto de vista da engenharia, o manual de transmissão apresenta algumas melhorias, como uma menor velocidade máxima e uma eficiência inferior em relação ao consumo de combustível.

Leia também:

Essa abordagem é respaldada pelos números de desempenho. O BMW M2, equipado com transmissão automática, alcança a marca de 0 a 60 mph em 3,9 segundos, superando em 0,3 segundos a versão manual. Este diferencial justifica a escolha da montadora em utilizar a versão automática na sua tentativa de conquistar o Nurburgring, culminando em um novo recorde para carros compactos.

BMW M2 transmissão
(Foto: Divulgação/BMW)

Ambas as variantes contam com a potência do motor S58 biturbo de 3,0 litros e seis cilindros em linha, capazes de gerar 453 cavalos de potência e 406 lb-pés de torque. Este propulsor também impulsionou outros modelos da BMW, como os renomados M3 e M4, além do Toyota GR Supra.

Nos Estados Unidos, os consumidores podem ficar tranquilos, pois a opção pela transmissão manual não acarreta custos adicionais. Essa estratégia, adotada por fabricantes como a Porsche para o 911 e a Nissan para o Z, reflete o compromisso em preservar a preservação da experiência de condução. O BMW M2 está disponível a partir de US$ 63.200, representando um acréscimo de US$ 1.000 em relação ao modelo do ano anterior.